SINJUSC encerra gestão 2016-2019 com aprovação das contas em assembleia

A última assembleia geral da gestão 2016-2019 do SINJUSC, aconteceu no último sábado, 7/12/2019 na Cachoeira do Bom Jesus, em Florianópolis. Reunindo dezenas de trabalhadores(as) e dirigentes sindicais, a mesa foi formada pelo presidente Walmor Grando, pelo presidente-eleito Neto Puerta e pelo então secretário de finanças e patrimônio, Cláudio Del Prá Netto. A ocasião contou com a prestação de contas da gestão, sob dois aspectos: econômico e político.

Aspecto econômico

Muito se falou da gestão 2016-2019, que encerra oficialmente seus trabalhos no dia 16/12/2019. Durante os três anos circulou os rumores que o SINJUSC gastava demais e que estaria sempre no negativo. Pois, o presidente Walmor Grando antecipou que o sindicato sempre manteve as contas em dia e que entrega ao presidente-eleito, Neto Puerta, um caixa superavitário em aproximadamente R$ 100 mil.

Grando pontuou algumas ações que nestes três anos de gestão a categoria precisa colocar na balança. Foram realizados de 2016 a 2019, três conferências de delegados sindicais (sendo a última com congresso estadual); três encontros da experiência; três encontros de mulheres do judiciário; três edições dos jogos do judiciário; congresso ‘O Futuro do Judiciário’; quatro edições da revista Valente; reforma total do prédio (pinturas, impermeabilizações, troca de toldos, construção da área externa de convivência); criação de novos espaços como estúdio de vídeo, depósitos, biblioteca e arquivo.

Tudo isso comprova os investimentos que há anos o SINJUSC precisava. Ressaltou-se que na gestão que se encerra não houve contribuição sindical. Ou seja, tudo feito nos limites, mas sempre com consciência à saúde financeira do sindicato. Assim, Grando explicou aos filiados que um sindicato do porte do SINJUSC é para isso: promover ações, campanhas, eventos e mobilizações. “Pra tudo isso, vai dinheiro. E quem disse que sindicato tem que guardar dinheiro? Sindicato tem que investir na busca de melhores remunerações, locais de trabalho e preocupação constante com a saúde física e mental dos servidores. Além de integrar os trabalhadores.”, concluiu Grando.

Aspectos políticos

Sob a ótica política, o SINJUSC iniciou a gestão 2016 com data-base atrasada. Na época a diretoria caiu na estrada já nos primeiros dias de 2017, em busca de união da categoria. Tanto é que naquele ano – o primeiro da gestão – foram eleitos mais de 120 delegados(as) sindicais. A luta seria grande, e assim foi. Houve recomposições das datas-bases de 2017, 2018 e 2019, todas em cota única. A situação da Greve de 2015 também foi negociada, juntamente com a venda de licença-prêmio, férias, auxílio-creche e auxílio-alimentação. Tudo em dia, em apenas três anos!

Estas conquistas não vieram de graça. Foram resultados de muitos esforços para negociar junto ao Tribunal. Muitas horas, dias e meses de espera, sempre ao lado da categoria dos trabalhadores. “O presidente Neto Puerta vai encontrar um ambiente político parecido com o de 2016, com cortes de direitos e afrontamentos aos servidores públicos. Então, é preciso manter a união e mobilização para que o servidor público do judiciário estadual tenha seus direitos garantidos. Para tudo acontecer é preciso uma categoria forte. Quanto mais filiados um sindicato tiver, mais força política terá em qualquer negociação”, disse Walmor Grando.

O Secretário Cláudio Del Prá Netto, também ex-presidente do SINJUSC, manifestou-se agradecendo por tudo que viveu nestes anos de lutas.  Ressaltou que esta gestão que se finda inovou, percorreu o Estado inteiro e uniu a categoria novamente. Mesmo em uma conjuntura política e econômica mais delicada, o sindicato fez o seu trabalho de base. Ele lembrou que o processo eleitoral acabou. Disse que é hora de unir-nos por objetivos comuns. Todos(as) são servidores públicos do judiciário catarinense. Uns técnicos, outros analistas, oficiais ou agentes. Indiferente o cargo ou função, o que importa é que temos o nosso sindicato e nele unimos nossas forças para manter e conquistar direitos

No seu discurso, Neto Puerta agradeceu a passagem de uma gestão que tem a pauta corporativa em dia. Reafirmou que o sindicato é político, mas jamais partidário, como se espalha por grupos de ‘Whatsapp’. Citou que há uma campanha de desfiliação massiva por servidores ‘descompromissados com a categoria’. “Um verdadeiro afrontamento institucional contra o SINJUSC, por próprios trabalhadores. Estão atacando a única trincheira para nos defendermos de tantos ataques e retiradas de direitos. Não tem lógica você disputar uma eleição e, não saindo vitorioso, tentar destruir institucionalmente seu sindicato”, disse Neto.

Na gestão que iniciará em 17/12/2019, Neto afirma que manterá um SINJUSC atuante, que jamais vai se opor aos trabalhadores, mesmo sabendo que os próximos três anos não serão fáceis. Assista a Assembleia na íntegra abaixo:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *