Novo governo de SC exonera 570 sem concurso. Enquanto isso, no Tribunal…

3
1175

O governador de Santa Catarina já exonerou 570 comissionados desde a sua posse, no primeiro dia do ano.

Em entrevista coletiva (veja aqui), Carlos Moisés da Silva avisou que extinguiria 922 cargos nomeados sem concurso e funções gratificadas. Ele não deu prazo para isso.

Das 570 exonerações, 78 eram de funcionários das Agências de Desenvolvimento Regional, criadas pelo governador Luiz Henrique da Silveira conforme o projeto de Paulo Eli, mantido por Moisés na Secretaria da Fazenda

Carlos Moisés da Silva disse que as exonerações e outras medidas, como a venda de aviões e a implementação do governo digital, buscam o equilíbrio das finanças.

Somente nos primeiros cinco dias de 2019, governadores eleitos de dez Estados já haviam demitido 22 mil comissionados (veja aqui).

Em abril de 2018, o Sindicato publicou notícia que o Executivo demitia 400 comissionados, enquanto o judiciário catarinense fazia o movimento inverso e criava 462 vagas de livre nomeação com aprovação na Assembleia Legislativa.

O SINJUSC defende a nomeação imediata do Segundo Assessor, concursado, para corrigir o problema de falta de equiparação, bem como melhorar ainda mais o atendimento à população.

Em 2019, o Sindicato faz 30 anos de história na defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras do judiciário catarinense. E segue na luta para que todos os Segundos Assessores sejam nomeados, e que a administração faça a melhor escolha para a sociedade, realizando concurso em lugar de terceirizar importantes funções e nomear livremente.

Você é o Sindicato! O Sindicato é você!

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá, que tal entrar com ação para que o Tribunal de Justiça deixe de nomear Técnicos como “Oficial de Justiça Ad-hoc”, pagando gratificações privativas do cargo e burlando a criação de novas vagas e provimento dos cargos pelo concurso que está em vigência??? Oficial de Justiça “ad hoc” é um absurdo diante da quantidade de pessoas aprovadas que estão esperando nomeação. O Tribunal de Justiça tem condições sim de prover essas vagas legal e rapidamente.

    • Caro aprovado, a nomeação de Oficiais ad hoc quando há aprovados em concurso vigente certamente é uma medida incompatível com as regras do concurso público. Já estamos levantando as informações de todas as comarcas para tomar as devidas providências. Conte sempre com o apoio do SINJUSC. Obrigado pela mensagem e participação!

  2. Brincadeira esse nosso Judiciário hein! Aproveitando, problema tão grave é a disfunção. Agora falo pelos Secretário de Foro, muitos sem formação em Direito tendo que fazer correições nos cartórios extrajudiciais. Não são auditores, nem advogados do Foro, e nem ganham gratificação para tal. Previsto no código de normas da CGJ, já que o Corregedor do Fórum é o Juiz Diretor, ou nomeia um assessor para cuidar do extrajudicial, ou a própria CGJ tira do Fórum essa incumbência, e forma um nucleo proprio para isso para atuar em todo Estado. Secretário do Foro tem que cuidar do Fórum.

DEIXE UMA MENSAGEM

Please enter your comment!
Please enter your name here