Artigos
Denuncie o Assédio Moral no judiciário
28/11/2017

A Direção do SINJUSC concluiu ontem (27/11) o curso sobre assédio moral promovido pela Academia Judicial. Participaram também trabalhadores das Diretorias de Saúde e de Gestão de Pessoas, e da Corregedoria. Casos dessa violência moral no judiciário catarinense são recorrentes. A denúncia e a reunião de provas do assédio são os principais instrumentos para prevenir e combater esta prática.

A primeira medida para impedir o assédio moral é identificar quando ele ocorre. Para uma prática abusiva ser caracterizada como assédio moral, é preciso que ela seja frequente. Casos de isolamento dos demais colegas, esvaziamento de funções, depreciação do trabalho realizado, ser colocado em situação humilhante ou vexatória, violências verbais e sexuais, entre outros, quando recorrentes, são consideradas práticas de assédio moral.

A denúncia e a prova são fundamentais, após o assédio moral ser identificado. O silêncio, a negação e a impunidade podem piorar a situação. A relotação também pode não ser a melhor alternativa, pois apenas adia o problema.

Abrir os olhos para essa realidade e reconhecer essa prática recorrente no Tribunal de Justiça é essencial. O Sindicato já propôs comissão paritária de prevenção e enfrentamento ao Assédio Moral, a exemplo dos já implementados no TJMG e no TJRS, e também já propôs a Comissão Interna de Saúde do Servidor. Está na hora do TJSC fazer a sua parte e efetivar o combate ao assédio moral para promover a melhoria da saúde dos trabalhadores, como também impõe a Resolução n. 207 do CNJ.


Leia mais

A saúde do trabalhador como pauta de Luta do SINJUSC

SINJUSC integra Fórum Nacional em defesa da saúde do trabalhador

Dia Nacional de Combate ao Assédio Moral

Assinado convênio com operadora líder em saúde suplementar

SINJUSC realiza reuniões e dialoga com Desembargadores

[ Mais sobre Artigos ]

0800 701 1690

Avenida Mauro Ramos, nº 448, Centro - Florianópolis

SC - CEP 88.020-300